. Resumo
Abstract
Material e Métodos
Resultados
Tabelas 1 e 2
Figura 1
Discussão
Conclusões
Referências Bibliográficas
VOLTA
Arquivos do Instituto Biológico issn.gif (382 bytes)
vol67_1.gif (800 bytes)
Revisada em 22 outubro 2000

VALORES DO PERFIL ELETROFORÉTICO DAS PROTEÍNAS SÉRICAS DE BOVINOS DA RAÇA NELORE (Bos indicus) CRIADOS NA REGIÃO DE BOTUCATU, SÃO PAULO: Influência dos fatores etários e sexuais*


 
A.M.O. Canavessi 1, S.B Chiacchio2, R. Sartori, P.R. Cury
1Bolsista da FAPESP (94/04122-0)
2Departamento de Clínica Veterinária, FMVZ, UNESP, Campus de Botucatu, SP, CEP 18618-000, Brasil.
*FAPESP (95/08986-2)

Resumo

Objetivando determinar o perfil eletroforético das proteínas séricas de bovinos sadios da raça Nelore, criados na região de Botucatu, em regime de criação extensiva e considerando-se a influência dos fatores etários e sexuais, foram selecionados 120 animais clinicamente sadios. Os animais foram subdivididos em seis grupos de 20 animais, de acordo com a idade e sexo. As concentrações absolutas e relativas das proteínas séricas foram determinadas a partir do fracionamento eletroforético em gel de agarose, sendo que a determinação da concentração de proteína total foi realizada pelo método bioquímico. No fracionamento eletroforético foram analisadas seis frações: albumina; a1-globulina; a2-globulina; b1-globulina; b2-globulina; g-globulina. O valor médio encontrado para a proteína total sérica foi 6,87 g/dl, enquanto que para os valores médios, absolutos e relativos, do perfil eletroforético os resultados obtidos foram: albumina 3,29 g/dl e 48,06 %; a1-globulina 0,51 g/dl e 7,40 %; a2-globulina 0,70 g/dl e 10,22 %; b1-globulina 0,72 g/dl e 10,45 %; b2-globulina 0,48 g/dl e 6,90 %; g-globulina 1,18 g/dl e 16,98 %; globulina total 3,59 g/dl e 51,95%; e relação albumina/globulina total 0,95 g/dl e 0,95%. Somente a fração a1-globulina sofreu influência dos fatores sexuais em seus valores absolutos e relativos. Os fatores etários influenciaram os valores da proteína total, os valores absolutos da albumina, a1-globulina, b1-globulina, b2-globulina, g-globulina, globulina total e a relação albumina/globulina total.

Palavras-chave: Bovino, eletroforese, perfil eletroforético, proteinograma sérico, proteína sérica, Bos indicus.


Abstract

Values of the electrophoretic pattern of serum proteins of bovines of the nelore breed raised in the Botucatu area, state of São Paulo: Influence of age and sex.

The objective of the present study was to determine the electrophoretic pattern of serum proteins of healthy bovines of Nelore breed in the Botucatu area. One hundred and twenty clinically healthy animals were used. The animals were divided into six groups according to age and sex. Each group was composed of 20 animals. Relative and absolute concentrations of serum proteins were determined by agarose gel electrophoretic fractionation. Determination of total protein concentration was carried out by biuret reaction. Six fractions were analyzed after electrophoretic fractionation: albumin,  a1-globulin, a2-globulin, b1-globulin, b2-globulin, g-globulin. The mean value of total serum protein of healthy bovines was 6.87 g/dl. Mean, absolute and relative values of the electrophoretic pattern of healthy bovines were as follows: albumin = 3.29 g/dl and 48.06%; a1-globulin = 0.51 g/dl and 7.40%; a2-globulin = 0.70 g/dl and 10.22%; b1-globulin = 0.72 g/dl and 10.45%; b2-globulin = 0.48 g/dl and 6.90%; g-globulin = 1.18 g/dl and 16.98%; total globulin = 3.59 g/dl and 51.95%; albumin/globulin total ratio = 0.95. The a1-globulin absolute and relative values were the only fraction affected by sex. The protein values and the absolute values of albumin, a1-globulin, b1-globulin, b2-globulin, g-globulin, total globulin and albumin/globulin total ratio were influenced by age.

Key words: Bovine, electrophoretic pattern, proteinogram, serum protein, Bos indicus.


Introdução

Os princípios da eletroforese estão baseados nos conhecimentos da composição química das proteínas e nos fatores (carga elétrica, peso molecular) que determinam sua migração eletroforética (Melvin, 1987; Naoum, 1990). A eletroforese tem sido utilizada como método de referência para o fracionamento e quantificação das proteínas séricas em bioquímica clínica (Evenson, 1982; Kaneko, 1989).

Há um grande número de técnicas para eletroforese das proteínas séricas que diferem apenas no tipo de meio utilizado como suporte. Na década de 70 foi descrita a eletroforese em gel de agarose. Esse tipo de meio possibilita a detecção de várias frações, sendo chamada de técnica eletroforética de alta resolução (Johansson, 1972; Liberg, 1977a; Kaneko, 1989), uma vez que o gel de agarose permite a separação de proteínas com mobilidade similar (Voss, 1987).

Na eletroforese podem ser observadas as várias alterações que ocorrem nas frações protéicas nos vários estados fisiológicos e nas diversas enfermidades (Herz & Hod, 1969; Naoum, 1990). No entanto, é necessário que haja uma padronização dos valores normais do perfil eletroforético (Keay & Doxey, 1982a) , assim como das mudanças que ocorrem nas diversas enfermidades em cada espécie animal (Alencar Filho, 1974; Osbaldiston, 1972).

Há um grande número de variáveis que influenciam o padrão eletroforético das proteínas tais como: espécie, sexo, idade, manejo dos animais, condições ambientais e tipo de meio, e técnica utilizados na eletroforese. Existem diferenças específicas nas frações dependendo do método utilizado.

O objetivo do estudo foi determinar os valores do perfil eletroforético de bovinos clinicamente sadios da raça Nelore (Bos indicus) mantidos em regime de criação extensiva, criados na região de Botucatu, SP, avaliando a influência dos fatores etários e sexuais.


Material e Métodos

Foram utilizados 120 bovinos, todos da raça Nelore (Bos indicus Linnaeus, 1758), oriundos de fazendas de criação extensiva da região de Botucatu. O Município de Botucatu está localizado na região Centro-Sul do Estado São Paulo, com altitude média de 805 m e clima subtropical úmido. Em todas as fazendas onde foi coletado o material, era realizado o manejo higiênico-sanitário básico e oferecida suplementação mineral adequada. A maior parte das pastagens era constituída por braquiária (Brachiaria decumbens).

Em todos os animais foi realizado exame clínico geral descrito por Rosemberger (1987), considerando a atitude, comportamento, estado de nutrição e aspecto geral do animal.

Todas as amostras foram analisadas previamente no intuito de selecionar apenas os animais sadios, de acordo com os seguintes exames laboratoriais:

a) Exame de Brucelose: prova de soroaglutinação em tubo - SAT; para animais não vacinados somente foram incluídos os sorologicamente negativos; para animais vacinados foi aceito o título de até 1/50.

b) Exame de Leucose Viral Bovina (LBV): seleção dos animais não reagentes ao antígeno de vírus da leucose bovina através do teste sorológico de imunodifusão radial em placa de gel de agar - Diagnostic Pasteur (SANOFI, Brasil).

c) Hemograma e Fibrinogênio: em todos os animais selecionados os valores obtidos nesses exames estavam dentro dos padrões normais citados por Ayres (1994) e Costa (1994), quando os mesmos estudaram o eritrograma e leucograma, respectivamente, de bovinos sadios da raça Nelore criados no Estado de São Paulo.

d) Exame Parasitológico: foi realizada a contagem de ovos de nematódeos gastrointestinais por grama de fezes, utilizando-se a técnica modificada de Gordon & Whitlock, detecção de larvas pulmonares pela técnica de Baermann e cultura de fezes de larvas de primeiro estágio de nematódeos gastrointestinais; levando em consideração a cultura de larvas, os resultados obtidos nos exames de fezes dos animais selecionados encontravam-se de acordo com os valores mencionados por Ueno & Gonçalves (1994) para animais com baixa carga parasitária.

Após a prévia seleção, os animais sadios foram divididos em seis grupos, de 20 animais, segundo sexo e idade:

GRUPO A = machos de 3 8 meses de idade (lactente, M - I1)
GRUPO B = fêmeas de 3 8 meses de idade (lactente, F - I1)
GRUPO C = machos de 8 18 meses de idade (não lactente, M -I2)
GRUPO D = fêmeas de 8 18 meses de idade (não lactente, F - I2)
GRUPO E = machos de 18 24 meses de idade (jovem, M - I3)
GRUPO F = fêmeas de 18 24 meses de idade (jovem, F - I3)

Todos os animais pertencentes ao grupo E não eram castrados e o grupo F era formado somente por fêmeas não gestantes.

As amostras para exames laboratoriais foram colhidas mediante punção de veia jugular externa, sem garroteamento excessivo do vaso, utilizando agulhas vacutainer 25×8, descartáveis (®BECTON DICKINSON), para coleta de sangue a vácuo. A colheita foi realizada durante os meses de maio a julho do ano de 1996. Todas as amostras foram colhidas durante a manhã, com no mínimo 30 dias pós vacinação e/ou vermifugação. O soro livre de hemólise foi separado por aspiração e congelado a -20ºC para posterior determinação da proteína total e eletroforese das proteínas séricas. De acordo com o estudo realizado por Suzuki et al. (1975), que estudaram a influência do tempo de estocagem das amostras congeladas na eletroforese das proteínas séricas em acetato de celulose, o soro analizado foi estocado por um período máximo de 100 dias.

A proteína total sérica foi determinada pela reação de Biureto e avaliada pelo método colorimétrico (LABETEST - PROTI A/G).

A separação das proteínas séricas foi realizada segundo a técnica de eletroforese em gel de agarose, de acordo com o Kit - CELMGEL. O filme foi medido por densitometria em 520 nm (Densitômetro Digital DS 35 - CELM), determinando-se assim o seu traçado eletroforético e a leitura dos valores absolutos e relativos.

Na análise estatística foram considerados dois fatores: sexo (macho: M e fêmea: F) e idade (I1, I2, I3). Para comparação entre os fatores foi utilizada Análise de Variância - Fatorial Inteiramente Aleatória (Zar, 1984) com os testes de interação entre sexo e idade e efeitos de idade e sexo. No caso de interação significante, foram verificados os efeitos de sexo em cada idade e de idade em cada sexo. Foi realizado o cálculo das estatísticas F e de seus respectivos "p-values" (p é a probabilidade de erroneamente concluir pela significância). Nos casos em que p < 0,05, foram efetuados contrastes entre pares de médias pelo método de Tukey, com o cálculo da diferença numérica significativa para a = 0,05.


Resultados

Nas avaliações realizadas não foi constatada interação entre idade e sexo.

A fração alfa1-globulina foi a única variável estudada que sofreu influência dos fatores sexuais, tanto nos seus valores relativos quanto nos absolutos. As diferenças estatísticas foram significativas, sendo os valores encontrados nos grupos dos machos (M) menores que os valores encontrados no grupo das fêmeas (F) (Tabelas 1 e 2; p < 0,01).

As médias e desvios padrão do perfil eletroforético, em valores relativos e absolutos de bovinos sadios da raça Nelore, criados na região de Botucatu, SP, distribuídos de acordo com a faixa etária e sexo estão apresentados nas Tabelas 1 e 2, respectivamente.

Todos os soros analizados eletroforeticamente em gel de agarose migraram 40 mm e apresentaram seis frações protéicas distintas: albumina, alfa1-globulina (a1), alfa2-globulina      (a2), beta1-globulina (b1), beta2-globulina (b2) e gama-globulina (g) (Fig. 1).

Os fatores etários exerceram influência sobre várias variáveis estudadas.

Os valores da proteína total na terceira faixa etária (I3=18 24 meses de idade) foram superiores aos da segunda faixa etária (I2=8 18 meses de idade), os quais não diferiram dos valores da primeira faixa etária (I1=3 8 meses de idade).

Na fração albumina os valores absolutos foram superiores na primeira faixa etária (I1=3 8 meses de idade). Não foi observada diferença significativa entre os valores da segunda (I2=8 18 meses) e da terceira faixa etária (I3=18 24 meses). Quantos aos valores relativos da fração albumina foi observada uma diminuição dos mesmos com a idade.

Na primeira (I1=3 8 meses ) e segunda (I2=8 18 meses) faixas etárias os valores absolutos de alfa1-globulina foram semelhantes e inferiores aos da terceira faixa etária (I3=18 24 meses). Nas três faixas etárias os valores relativos de alfa1-globulina foram semelhantes.

Não foi observada nenhuma diferença significativa entre as três faixas etárias para os valores absolutos de alfa2-globulina. Para os valores relativos não houve diferença significativa entre a primeira (I1=3 8 meses) e a segunda (I2=8 18 meses) faixas etárias, sendo estes superiores aos da terceira faixa etária (I3=18 24 meses).

Os resultados dos valores absolutos e relativos observados na fração beta1-globulina foram os semelhantes aos valores observados na fração alfa1-globulina.

Na fração beta2-globulina, tanto para os valores absolutos como para os valores relativos, foi observado um aumento de acordo com a idade.

O mesmo aumento gradativo com a idade, nos valores absolutos e relativos, também foi observado na fração gama-globulina e na globulina total.

Ao contrário do observado nas frações beta2-globulina, gama-globulina e na globulina total, a relação globulina/albumina total diminiu com o aumento da idade.


Discussão

Os soros dos 120 bovinos separados eletroforeticamente em gel de agarose apresentaram seis frações eletroforéticas: albumina, alfa1-globulina, alfa2-globulina, beta1-globulina, beta2-globulina, e gama-globulina. Este fato coincide com os achados de Jacobs et al. (1980), Kohayagawa (1985), Kiss & Brydl (1991) e Kohayagawa (1993). Entretanto, Carlström & Liberg (1975), Liberg (1977a, b), Keay & Doxey (1982a, b) relataram a obtenção de uma sétima fração protéica, inter alfa-beta, além das seis frações citadas. Na região inter alfa-beta os autores observaram uma a duas bandas quando utilizaram a coloração para lípideos na corrida eletroforética. Esta coloração não foi usada no estudo, já que o objetivo era a determinação do perfil eletroforético das proteínas séricas.

A literatura referente ao perfil eletroforético das proteínas séricas de bovinos em gel de agarose é escassa. Dentre essas, poucos são os trabalhos que relatam a influência dos fatores etários e/ou sexual, dificultando a comparação dos resultados obtidos neste estudo. Essa limitação fez com que os resultados obtidos fossem confrontados com estudos que utilizaram animais de outra raça e/ou outras metodologias aplicadas na eletroforese das proteínas séricas. A grande divergência entre as médias dos valores das proteínas séricas observadas no presente estudo e em outros trabalhos, ocorre devido a interferência de vários fatores inerentes ao animal (raça, idade, estado fisiológico), metodologia utilizada (diferença entre as técnicas, suporte, tampão, etc) e ambiente (manejo, alimentação, época do ano) (Labouche, 1964).

Menon & Reddy (1960) consideram que os valores do perfil eletroforético normal de bovinos obtidos por diferentes autores, apresentam diferenças significativas devido ao grande número de variáveis (método da análise, alimentação, raça, manejo, idade) a que estão sujeitos, tornando difícil a sua padronização. Akiyoshi & Gerszten (1962) e Jain (1986) concordaram que os resultados obtidos em diferentes técnicas eletroforéticas podem diferir significativamente, o que dificultaria a comparação desses dados, devido a muitas variáveis inerentes a cada método. Akiyoshi & Gerszten (1962), Liberg (1977a), Jain (1986) e Kaneko (1989) consideram que cada laboratório deve estabelecer o perfil eletroforético de cada espécie de acordo com a técnica eletroforética empregada. Ek (1969) e Jain (1986) afirmaram ser quase obrigatório que a avalição comparativa dos resultados de eletroforese de proteínas séricas seja feita com os próprios valores normais estabelecidos pelo pesquisador e/ou laboratórios nas mesmas condições.

Analisando os resultados obtidos dentro de cada faixa etária, foi confirmada a influência dos fatores etários na eletroforese das proteínas séricas de bovinos da raça Nelore, criados na região de Botucatu. Vários autores relataram a evidência desse tipo de influência em bovinos (Larson & Touchberry,1959; Ross, 1960; Rice et al., 1967; Tennant et al., 1969; Tumbleson et al., 1973; González-Rubiera & Martin, 1975; Liberg, 1977a; Lumsden et al., 1980; Green et al., 1982; Keay & Doxey, 1982b; Jain, 1986).

Não houve diferença na proteína total entre as duas faixas etárias de 3 8 meses (I1) e de 8 18 meses (I2) de idade. Os valores observados na faixa etária de 18 24 meses (I3) foram superiores aos demais. O aumento das proteínas totais com a idade concorda com os achados de Rice et al. (1967), Massip & Fumiere (1975) e Liberg (1977a), porém esses estudos não analisaram animais na faixa etária de 3 a 18 meses de idade. Souza, em 1997, estudando o perfil eletroforético de bovinos observou uma elevação nos valores da proteína total sérica de acordo com o aumento da idade. Larson & Touchberry (1959) também afirmaram que a variação da proteína sérica está ligada a idade. No entanto, estes autores relataram ter encontrado um aumento constante da proteína sérica mesmo durante a idade de 3 a 18 meses. Esse aumento de proteína total sérica com a idade, ocorre como conseqüência de um aumento do número de globulinas totais devido, principalmente, ao aumento da gama-globulina (Larson & Touchberry, 1959; Rice et al., 1967; Tumbleson et al., 1973; Liberg, 1977a; Green et al. ,1982; Souza, 1997) e diminuição da fração albumina (Senft et al., 1973).

Os resultados dos valores absolutos de albumina obtidos pelo proteinograma foram superiores na faixa etária de 3 8 meses (I1) quando comparados com os valores da faixa etária de 8 18 meses (I2). Não foi observada diferença significativa entre as faixas etárias de 8 18 meses e de 18 24 meses de idade. Este tipo de variação, na qual ocorre uma redução da albumina com a idade, concorda com o descrito por Larson & Touchberry (1959), quando estudaram os níveis de proteína sérica do sangue de bovinos em função da idade. Pierce (1955) descreveu que a concentração de albumina controla a pressão colóide osmótica. Portanto, os valores de albumina são inversamente proporcionais aos de globulina total, o que concorda com os achados das duas variáveis no estudo.

Com base nos resultados da relação albumina/globulina (A/G) na eletroforese, pôde-se constatar uma diminuição da relação com o aumento da idade. Essa diminuição pode ser explicada pelo aumento das globulinas totais nos animais mais velhos (Liberg, 1977a).

A fração alfa1-globulina e beta1-globulina obtiveram resultados semelhantes quanto à influência etária. Os valores absolutos obtidos na faixa etária de 18 24 meses (I3) foram superiores aos das faixas etárias de 3 8 meses (I1) e de 8 18 meses (I2). Este achado discorda dos relatados por Pierce (1955), que observou um aumento significativo da fração beta-globulina quando a fração alfa-globulina era encontrada nos seus valores mais baixos.

Na avaliação dos resultados absolutos da fração alfa2-globulina não foi constatada nenhuma alteração significativa entre as três faixas etárias. Na literatura consultada não consta nenhuma referência a esta fração no que diz respeito a influência etária.

Foi verificado um aumento das frações beta2-globulina, gama-globulina e da globulina total na eletroforese, de acordo com o aumento da idade. Esses achados são semelhantes aos encontrados por Larson & Touchberry (1959) e Rice et al. (1967). Bradish et al. (1954) concordam com os autores anteriormente citados, quando os mesmos afirmaram que a causa do aumento da fração gama-globulina ocorre devido a resposta do animal a exposição a agentes antigênicos, o que provocaria uma elevação no nível de imunoglobulinas pelo formação de anticorpos. Massip & Fumiere (1975) e Liberg (1977a) também relataram ter observado que com o aumento da idade a concentração de gama-globulina elevou-se significativamente, refletindo no aumento das concentrações de globulina total e na proteína total.

Os fatores sexuais não exerceram influência significativa sobre: proteína total, albumina, alfa2-globulina, beta1-globulina, beta2-globulina, gama-globulina, globulina total e relação albumina/globulina (A/G) total na eletroforese. Tal constatação concorda com as conclusões de Rice (1968), Tennant et al. (1969) e González-Rubiera et al. (1973) que avaliaram essa influência nas proteínas séricas de bovinos.

A única fração protéica que sofreu influência dos fatores sexuais foi a fração alfa1-globulina. Nesta fração, os machos obtiveram valores inferiores quando comparados com as fêmeas da mesma faixa etária. Provavelmente, esta influência está relacionada com algum dos constituintes da fração e ligado ao fator hormonal.


Conclusões

O estudo realizado permitiu o estabelecimento dos valores do perfil eletroforético das proteínas séricas e avaliação da influência dos fatores etários e sexuais.

Os valores da proteína total foram superiores na terceira faixa etária (18 24 meses).

Os fatores sexuais não exerceram influência sobre a proteína total.

Os fatores etários exerceram influência significativa sobre os valores absolutos do perfil eletroforético das proteínas séricas de bovinos da raça Nelore, criados na região de Botucatu:

a) os valores de albumina foram superiores na primeira faixa etária (3 8 meses);
b) os valores da fração alfa1-globulina e beta1-globulina foram superiores na terceira faixa etária (18 24 meses);
c) a fração alfa2-globulina não sofreu influência dos fatores etários;
d) os valores das frações beta2-globulina e gama-globulina, e da globulina total obtiveram uma correlação direta com a idade, aumentando progressivamente com a mesma;
e) na relação albumina/globulina (A/G) total foi observada uma correlação inversamente proporcional a idade, ou seja, a relação diminui com a idade.

Os fatores sexuais somente exerceram influência significativa sobre o perfil eletroforético das proteínas séricas na fração alfa1-globulina, onde os valores absolutos para os machos foram inferiores aos das fêmeas.


Agradecimentos

Agradecemos à FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo) por ter financiado este estudo através da bolsa de Auxílio Pesquisa (95/08986-2) e Bolsa de Mestrado (94/04122-0) concedida a Aurea Maria Oliveira Canavessi, durante os anos de 1995 a 1997, sob a orientação do Prof. Ass. Dr. Simone Biagio Chiacchio.


Referências Bibliográficas

Akiyoshi, H.T. & Gerszten, A. Atlas de diagramas electroforeticos. Buenos Aires:Artecnica, 1962. 264p.

Alencar Filho, R.A. Exames hematológicos no estudo das enfermidades animais. 5. Eletroforese sérica - indicações clínicas. Biológico, São Paulo, v. 40, p.335-336, 1974.

Ayres,M.C.C. Eritrograma de zebuínos (Bos indicus Linnaues 1758) da raça Nelore criados no Estado de São Paulo: influência de fatores etários, sexuais e do tipo racial. São Paulo: 1994. 204p. [Dissertação (Mestrado) - Medicina Veterinária - Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo].

Bradish, C.J.; Henderson, W.M.; Brooksby, J.B. Electrophoretic studies of ox serum. 1. the sera of normal cattle. Biochem. J., v.56, p.329-335, 1954.

Carlström, G. & Liberg, P. Agarose gel electrophoretic separation of blood serum proteins in cattle. Acta Vet. Scand., v.16, p.520-524, 1975.

Costa, J.N. Leucograma de zebuínos (Bos indicus Linnaeus, 1758) sadios da raça Nelore criados no Estado de São Paulo - influência dos fatores etários e sexuais. São Paulo: 1994. 124p. [Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo].

Ek, N. Studies on electrophoresis on cellulose acetate membrane of bovine serum proteins in healthy animals. Acta. Vet. Scand., v.10, p.118-126, 1969.

Evenson, M.A. Aparelhos utilizados no laboratório: fundamentos teóricos e descrição geral. In: Henry, J.B. Diagnósticos clínicos e conduta terapêutica por exames laboratoriais - Todd. Sanford. Davidshon. 16.ed. São Paulo: Manole, 1982. v.1, cap.4, p.81-114.

González-Rubiera, E. & Martin, J.M. Estudio de las proteínas séricas en terneros holstein desde el nacimiento hasta los 90 días de edad, mediante la electroforesis en acetato de celulosa. Rev. Cubana Cienc. Vet., v.6, p. 83-90, 1975.

González-Rubiera, E.; Torrens, S.; Pérez, E. Variaciones del diagrama electorforético de lasa proteínas séricas en terneros R1 (del cruce holstein x holstein-cebú), desde los 5 hasta los 135 días de nascidos. Rev. Cubana Cienc. Vet., v.4, p.167-172, 1973.

Green, S.A.; Jenkins, S.J.; Peggy, A.C. A comparison of chemical and electrophoretic methods of serum protein determinations in clinically normal domestic animals of various age. Cornell Vet., v.72, p.416-426, 1982.

Herz, A. & Hod, I. The albumin/alpha globulin ratio in various physiological states in cattle. Br. Vet. J., v.125, p.326-329, 1969.

Jacobs, R.M.; Valli, V.E.O.; Wilkie, B.N. Serum electrophoresis and immunoglobulin concentrations in cows with lymphoma. Am. J. Vet. Res., v.41, p.1942-1946, 1980.

Jain, N.C. The plasma proteins, dysproteinemias, and immune deficiency disosders. In: Jain, N.C. Schalm’s veterinary hematology. 4.ed. Philadelphia: Lea & Febiger, 1986. chap. 34, p.940-989.

Johansson, B.G. Agarose gel electrophoresis. Scand. J. Clin. Lab. Invest., v.29, p.7-19, 1972. Suplemento, 124.

Kaneko, J.J. Serum proteins and the dysproteinemias. In: Kaneko, J.J. Clinical biochemistry of domestic animals. 4.ed. San Diego:Academic Press, 1989. cap. 6, p.142-165.

Keay, G. & Doxey, D.L Species characteristics of serum proteins demonstrated after agarose gel. Vet. Res. Commun., v.5, p.263-270, 1982a.

Keay, G. & Doxey, D.L. A comparasion of serum protein electrophoretic patterns of young and adult animals. Vet. Res. Commun., v.5, p.271-276, 1982b.

Kiss, G. & Brydl, E. Analysis of bovine serum protein fractions by agarose-gel electrophoresis. I. basic parameters of cows with different biological states. Magy. Allatorv. Lapja., v.46, p.669-673, 1991.

Kohayagawa, A. Estudo clínico e laboratorial do desenvolvimento de premunição contra Babesia e Anaplasma em bovinos (Bos taurus) da raça Fleckvieh. Botucatu: 1985. 117p. [Tese (Doutorado) - Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista].

Kohayagawa, A. Aspectos laboratoriais e testes de imunofluorescência indireta para Babesia bovis, Babesia bigemina e Anaplasma marginale em bezerros da raça Holandesa (Bos taurus) preta e branca naturalmente infectados por Babesiose e Anaplasmose. Botucatu: 1993, 140p. [Tese (Livre-Docência) - Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista].

Labouche, C. La protéinéme chez la vache. Rev. Elev. Méd. Vét. Pays Trop., v.17, p.721-745, 1964.

Larson, B.L. & Touchberry, R.W. Blood serum protein level as a function of age. Anim. Sci., v.18, p.983-990, 1959.

Liberg, P. Agarose gel electrophoretic fractionation of serum proteins in adult cattle. I. a study of clinically healthy cows. Acta Vet. Scand., v.18, p.40-53, 1977a.

Liberg, P. Agarose gel electrophoretic fractionation of serum proteins in adult cattle. II. A study of cows with different diseases. Acta Vet. Scand., v.18, p.335-348, 1977b.

Lumsden, J.H.; Mullen, K.; Rowe, R. Hematology and biochemistry reference for female Holstein cattle. Can. J. Comp. Med., v.44, p.24-31, 1980.

Massip, A. & Fumiere, I. Protéines sériques chez les veaux normaux variations en fonction de l’age et de la période de l’année. Rec. Méd. Vét., v.151, p.363-367, 1975.

Melvin, M. Electrophoresis: analytical chemistry by open learning. London: John Wiley & Sons, 1987. 130p.

Menon, U.K. & Reddy, M.V.R. Analysis of serum proteins of Indian cows by paper electrophoresis. Indian Vet. J., v.37, p.388-392, 1960.

Naoum, P.C. Eletroforese técnicas e diagnósticos. São Paulo: Livraria Santos, 1990. 174p.

Osbaldiston, G.W. Serum protein fractions in domestic animals. Br. Vet. J., v.128, p.386-393, 1972.

Pierce, A.E. Electrophoretic and immunological studies on sera from calves from birth to weaning. J. Hyg. Cambridge, v.53, p.247-260, 1955.

Rice, C.E. Comparative serology of domestic animals - I, II. Adv. Vet. Sci., v.12, p.105-110, 1968.

Rice, C.E.; Smith, H.J.; Cochrane, D. Serological studies of parasitized cattle. II. Electrophoretic properties of serial serum samples. Can. J. Comp. Med. Vet. Sci., v.31, p.37-42, 1967.

Rosenberger, G. Exame clínico dos bovinos. 2.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1987. 429p.

Ross, J.G. Normal serum albumen values in nigerian zebu cattle. Vet. Rec., v.72, p.159-160, 1960.

Senft, B.; Meyer, F.; Manteuffel, U-Von. Variations in the protein composition of blood serum of calves under different feeding conditions. Berl.-Munch-Tierarztl.-Wochenschr., v.86, p.341-343, 1973. (Abstract)

Souza, P.M. Perfil bioquímico sérico de bovinos das raças Gir, Holandesa e Girolanda, criados no Estado de São Paulo - influência dos fatores de variabilidade etários e sexuais. São Paulo: 1997. 168p. [Tese (Doutorado) - Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo].

Suzuki, M.; Toyosawa, K.; Sitizyo, K. The influence of frozen storage on the electrophoresis of serum protein indomestic animals. Bull. Fac. Agric. - Tottori Univ., v.27, p.49-67, 1975.

Tennant, B.; Harrold, D.; Reina-Guerra, M.; Laben, R.C. Neonatal alterations serum levels of jersey and holstein-friesian calves. Am. J. Vet. Res., v.30, p.345-354, 1969.

Tumbleson, M.E.; Burks, M.F.; Wingfiel, W.E. Serum protein concentrations as a function of age, in female dairy cattle. Cornell Vet., v.63, p.65-71, 1973.

Ueno, H. & Gonçalves, P.C. Manual para diagnóstico das helmintoses de ruminantes. 3.ed. Tokyo: Japan International Cooperation Agency, 1994. 166p.

Voss, A. Eletroforese. LAES/HAES, v. 8, p.69-75, 1987.

Zar, J.H. Bioestatistical analysis. 2.ed. Englewood Cliffs:Prentice Hall, 1984. 718p.


Recebido para publicação em 6/8/99