Quinta-Feira, 18 de Dezembro de 2014
Instituto Biológico
     
  Notícias  
     
  bullet2014  
  bullet2013  
  bullet2012  
  bullet2011  
  bullet2010  
  bullet2009  
  bullet2008  
  bullet2007  
  bullet2006  
     
  bulletBio In - Biológico Informa  

     
   
     
  Pitangueiras: como controlar pragas  
  Suplemento Agrícola do Jornal O Estado de São Paulo  
     
 

Há dois anos venho tendo problemas com um pé de pitanga que plantei há dez anos no quintal da minha casa, em Pinheiros, e cujas folhas, na sua maioria, estão com inúmeras bolinhas verdes, como se fossem pequenas ervilhas grudadas. Já tentei tirar as folhas infestadas, mas o problema reapareceu este ano e com uma incidência maior. O que fazer?
Julita de Rezende Rubim
SÃO PAULO (SP)

Tenho uma pitangueira que frutifica duas vezes ao ano. Uma vez, com muitos frutos, e outra, só com alguns. Na vez de muitos frutos (milhares), todos, ao amadurecer, têm bichinhos dentro. Como devo proceder para que isso seja evitado? Existe algum remédio?
Fausta Marisa Ricco Brianez
SÃO PAULO (SP)

Segundo o pesquisador Eduardo M. de C. Nogueira, do Instituto Biológico de São Paulo, com relação à doença da pitangueira, deve ser provocada por ataque do inseto Hymenoptera. \'Não há necessidade da utilização de produto químico para controlá-lo\', diz. Para amenizar o problema, ele recomenda uma poda de limpeza, retirando, com uma tesoura de poda, os ramos e folhas atacados, incinerando-os logo em seguida, para evitar que o inseto volte a atacar a planta. Deve-se também aproveitar e podar os ramos em excesso, mal posicionados, quebrados ou doentes para melhorar o arejamento e a insolação da planta, retirando-os do pomar e enterrando-os. \'Esse procedimento é suficiente para o controle deste inseto.\'

No caso dos bichinhos dentro da fruta de pitanga, Nogueira afirma que aparentemente se trata do ataque de mosca-das-frutas, que pode ser controlada por meio de armadilhas. O ideal é fazer uma isca atrativa, contendo de 150 a 200 mililitros de isca líquida, utilizando 50% de água mais 50% de um preparado de suco de frutas (uva ou laranja). A isca é colocada em garrafas plásticas (refrigerantes ou água mineral), fazendo, na parte central da garrafa, quatro furos (inferiores a meio centímetro), e devem ser penduradas, tampadas, sob a copa das árvores, sempre protegidas do sol. Cada armadilha serve para controlar dez plantas, devendo-se colocar o maior número possível de garrafas nas bordas dos pomares, principalmente próximos de matas e de outras fruteiras exóticas e silvestres. As moscas, atraídas pelo líquido no interior da garrafa, entram pelos furos e morrem.

Informações: Instituto Biológico, tel. (11) 5087-1742 / 5087-1743.

 

Página inicial Fale conosco Ouvidoria Mapa do site Intranet Webmail
 
 
  Instituto Biológico
Avenida Conselheiro Rodrigues Alves, 1.252 - CEP 04014-002
Telefone: (11) 5087-1701 - São Paulo - SP - Brasil